Compliance: Muito se diz. Pouco se sabe

O termo em inglês, “compliance”, usualmente referenciado na área empresarial, nos noticiários e até em conversas entre amigos, muito se diz e pouco se sabe. A tradução literal da palavra para o nosso idioma significa “conformidade”.

O discurso atinente a compliance ganhou força após a promulgação da Lei n°12.846/13, conhecida como Lei Anticorrupção, sendo regulamentada pelo Decreto n° 8.420/15.

Em suma, os pilares gerais do programa de compliance, a fim de ser instituído a qualquer tipo de empresa, inicia-se da seguinte forma: – Elaboração de um código de ética e conduta, contendo linguagem acessível, no sentido de aplicar a todos os envolvidos nos negócios, desde colaboradores, terceirizados e fornecedores, principalmente no tratamento com o poder público. – Treinamento constante – se existe um programa de compliance e ele é usado, todos devem saber disso. A direção e os funcionários devem participar de treinamentos sobre os assuntos relacionados às políticas de integridade, principalmente sobre a cultura ética da empresa. – Transparência nas relações.

Entre outras importantíssimas condutas para se implantar o programa de compliance na sua empresa.